sábado, 21 de abril de 2012

Os quarenta mandamentos do reacionário perfeito



          Esta postagem não contém referências bibliográficas ou links para documentos históricos digitalizados. Atrevo-me hoje a invadir, até certo ponto, o terreno do humor. Ainda que o texto seja integralmente de minha autoria, preciso assinalar que contei com a colaboração involuntária de muitos dos direitistas que já conheci: parentes, vizinhos, colegas de escola e de trabalho, desafetos passageiros. Cada um dos tópicos abaixo foi diretamente inspirado nas falas ou nas atitudes de pessoas de carne e osso. Talvez a lista tenha ficado longa demais, mas fiz questão de reconstituir em boa extensão o programa não-escrito do reacionarismo. Temos, na realidade, um antiprograma: no Brasil, país com índice de Gini acima de 0,50, todos deveriam descumpri-lo por completo e com paixão.

1-Negue sistematicamente a existência de qualquer conflito de classe, gênero, etnia ou origem regional ao seu redor, mesmo que o problema seja evidente até aos olhos do turista mais desatento. Afinal, sempre nos foi ensinado que a sociedade é um todo harmônico.

2-Não sendo possível negar o conflito, pela sua extensão, tente convencer seu interlocutor de que ele é limitado, reduzido a alguns focos ou induzido por estrangeiros perversos, mas que logo tudo voltará à tranquilidade costumeira.

3-Sendo impossível negar que o conflito é vasto e presente em quase toda parte, tome o partido dos mais poderosos. Afinal, eles representam a ordem, que deve ser mantida a qualquer custo.

4- Manifeste sua contrariedade diante de qualquer estatística que aponte para uma tendência de aumento da massa salarial. É inadmissível que os abnegados empreendedores sejam constrangidos a margens de lucro menores.

5-Demonstre contrariedade ainda maior quando notar que filhos de operários, camelôs e empregadas domésticas estão frequentando universidades. Prevalecendo esta aberração, que vai limpar o vaso sanitário para seu filho daqui a vinte anos?

6-Repita mil vezes por dia, para si mesmo e para os outros, que esquerdismo é doença, ainda que faça parte de uma classe média de orçamento curto, mas que, em estranho fenômeno psicológico, se enxerga como parte da melhor aristocracia do planeta.

7-Atribua a culpa pelos altos índices de criminalidade aos migrantes vindos de regiões pobres e imigrantes de países miseráveis. Estas criaturas não conseguem nem reconhecer a generosidade da sociedade que os acolhe.

8-Associe, sempre que possível, o uso de drogas a universitários transgressores e militantes de esquerda, mesmo sabendo que o pó mais puro costuma ser encontrado nas festas da “boa sociedade”. É necessário ampliar ou pelo menos sustentar o nível de reacionarismo da população em geral.

9- Tente revestir seu conservadorismo com uma face humanitária, reivindicando o direito à vida de todos os fetos, ainda que, na prática, vá pagar um aborto caso sua filha fique grávida de um indesejável, e seja favorável ao uso indiscriminado de cassetete e spray de pimenta contra os filhos de indesejáveis já crescidos.

10- Assuma o partido, em qualquer querela, daquele que for mais valorizado socialmente. Não é prudente que os “de baixo” testemunhem quebras de hierarquia, nem nos casos de flagrante injustiça.

11- Tente justificar, em qualquer ocasião, os ataques militares da OTAN contra países da Ásia, África ou da América Latina, mesmo que estes não representem a menor ameaça concreta para os agressores. Pondere que não é fácil carregar o fardo da civilização.

12- Mantenha assinaturas de pelo menos um jornal e uma revista de linha editorial bem reacionária, para usá-las como argumento de autoridade. Quando suas afirmativas forem refutadas, retruque de imediato com a fórmula “eu sei de tudo porque li o ...”.

13-Nunca se esqueça: se um político socialista ou comunista cometer crimes comuns, isto é da essência do esquerdismo; se os crimes forem cometidos por um político de direita, ele é apenas um indivíduo safado que não merece mais o seu voto.

14- Vista-se somente com roupas de grifes caríssimas, não importando o quanto vá se endividar. Sobretudo jamais seja visto sem gravata por pessoas das classes C, D e E.

15- Nunca perca a oportunidade de discursar a favor da pena de morte quando o jornal televisivo noticiar o assassinato de um pequeno burguês por assaltante ou traficante de favela; se, ao contrário, surgir a imagem de algum rico que passou de carro a 200 km/h por cima de pobres, mude de canal, procurando um filme de entretenimento.

16- Quando ouvir narrativas sobre ações violentas de neonazistas e outros militantes de extrema-direita, minimize a questão. Afinal, eles podem ser malucos, mas contrabalançam a ação da esquerda.

17- Reserve pelo menos uma hora, durante as festas de aniversário de seus filhos, para aquela roda em que alguns contam piadas sobre padeiros portugueses burros, negros primitivos, judeus e árabes sovinas, gays escrachados e índios canibais. É necessário, para reforçar a coesão da comunidade burguesa “cristã-velha”!

18- Quando forçado a conversar com pobres, tente parecer um grande doutor, empregando seguidamente expressões estrangeiras; se um subalterno for inconveniente ou falar demais, dispare sem hesitar: “Fermez la bouche!” .

19- Seja sócio de um clube tradicional, ainda que falido, e se possível ocupe uma de suas diretorias, mesmo que totalmente irrelevante. Manifeste-se sempre contra a entrada no quadro social de emergentes sem diploma e outros tipos sem classe.

20- Jamais ande de trem ou de ônibus. É a suprema degradação, comparável somente a ser açougueiro na sociedade absolutista.

21- Obrigue todo empregado doméstico que venha a cair sob suas ordens a comprar uniforme e usá-lo diariamente, impecavelmente lavado e passado. Afinal, para que serve o salário mínimo?

22-Jamais escute música baiana de qualquer vertente, samba, forró ou cantores sertanejos. Uma vez flagrado, sua reputação de homem civilizado estaria arruinada.

23-Pareça o mais alinhado possível com o liberalismo do século XXI. Tendo preguiça de se dedicar a textos complexos, leia pelo menos “Não somos racistas”, de Ali Kamel, e o “Manual do perfeito idiota latino-americano”. Passará como intelectual para pelo menos 90% da juventude de direita.

24- Morra virgem, mas nunca apresente como esposa, noiva ou namorada uma mulher que não caiba no estereótipo da burguesa cosmopolita, porém comportada.

25- Faça eco aos discursos dos octogenários conservadores que constantemente repetem a fórmula “no meu tempo não era assim”, mesmo que saiba sobre inúmeras falcatruas e atrocidades “do tempo deles”. Quanto mais perto do Império e da República Velha, mais longe da contaminação esquerdista!

26- Passe sempre adiante, para parentes, amigos e conhecidos, notícias forjadas na Internet, no estilo “Todas as mulheres de uma cidade do Ceará se recusaram a trabalhar numa fábrica de sapatos, porque já recebiam o bolsa-família”. Não importa se é impossível que qualquer pessoa com mais de quatro neurônios ativos acredite que uma cidade inteira tenha recusado um salário de pelo menos seiscentos reais por achar que vive bem com um auxílio de cento e cinquenta.

27- Repasse, igualmente, juízos de valor negativos sobre personalidades de esquerda, na linha “Michael Moore é mentiroso”, “Chico Buarque é um comunista hipócrita que vive no luxo”, “Dilma foi terrorista”, etc. É preciso dar continuidade à teatral associação entre reacionarismo e moralidade.

28-Diante de qualquer texto ou discurso de esquerda, classifique-o imediatamente como doutrinação barata ou lavagem cerebral. Não importando sua eventual ignorância sobre o tema, é preciso fechar todos os espaços à conspiração gramsciana mundial.

29- Sustente a surrada versão de que “apesar dos erros, os milicos salvaram o Brasil do comunismo em 1964”. Desconverse mais uma vez se alguém perguntar como se chegaria ao comunismo através da provável eleição de Juscelino Kubitschek em 1965.

30- Deprecie ao máximo mexicanos, chilenos, peruanos, paraguaios, bolivianos, colombianos e demais hispânicos como caboclos de cultura atrasada. Abra exceção para argentinos ricos filhos de pais europeus, desde que estes se abstenham de chamá-lo de macaquito.

31- Defenda o caráter sagrado da propriedade rural. Quando alguém recordar que as terras registradas nos cartórios do estado do Pará equivalem a quatro Parás, procure ao menos convencê-lo de que é uma situação atípica.

32- Afirme com veemência que todo posseiro, índio ou quilombola em busca de regularização de terras é vagabundo, mesmo que seus antepassados estejam documentados no local há duzentos anos. Por outro lado, todo latifundiário rico sempre será um proprietário respeitável, ainda que tenha cercado sua fazenda à bala há menos de vinte.

33- Denuncie nas redes sociais os ambientalistas que tentam embargar a construção de fábricas de artefatos de cimento em bairros superpopulosos e de depósitos de gás ao lado de estádios de futebol. Esses idiotas não sabem que nada é mais importante do que o crescimento do PIB?

34- Rejeite toda queixa que ouvir sobre trabalho escravo. É tirania impedir que alguém trabalhe em troca de água, caldo de feijão, laranja mofada e colchão de jornal, se estiver disposto a isto. Deixem a vida social seguir seu curso espontâneo!

35- Quando alguém protestar contra o assassinato de duzentos gays no ano Y, responda que outras quarenta mil pessoas morreram violentamente naquela temporada. Finja que é limítrofe e não entendeu que a cifra se limita aos gays mortos em decorrência desta condição e não aos que tombaram em latrocínios, brigas entre torcidas e disputas armadas por vagas de garagem.

36- Acuse todo movimento constituído contra determinado tipo de opressão de querer promover a opressão com sinal contrário. As feministas, por exemplo, pretendem castrar os machos e colocar-lhes avental para lavar a louça e cuidar de poodles.

37- Enalteça “esportes e diversões” que favorecem o gosto pelo sangue, como arremesso de anões, rinhas de galo, pegas, caçadas em áreas de preservação ambiental, touradas, farras do boi e congêneres. Como já dizia seu patrono oculto Benito Mussolini, “o espírito fascista é emoção, não intelecto”.

38-Procure enxertar referências bíblicas nas suas falas sobre política. Ao defender um oligarca truculento, arremate a obra dizendo algo como “Cristo também jantou na casa do rico Zaqueu”. Tente dar a impressão de que qualquer um que venha a contestá-lo despreza pessoas religiosas.

39-Apresente a todas as crianças que tiver ao seu alcance, antes dos dez anos, o repertório integral de Sylvester Stallone e similares, nos quais o árabe é sempre terrorista, o vietnamita um comunista fanático que jamais tira a farda e o hispano-americano batedor de carteira ou traficante. Tendo a chance, compre também Zulu, para a garotada aprender desde cedo que africanos são selvagens que correm em torno da fogueira sacudindo lanças de madeira.

40- Não permita que a política externa dos Estados Unidos seja criticada impunemente. Nunca se sabe quando o homem de bem precisará de um poder maior e talvez irresistível para defendê-lo do zé povão.

25 comentários:

  1. Agradeço pelo sucesso-relâmpago da postagem e pela passagem das duas mil visitas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Simplesmente Maravilhoso!!!!

      acabei de colocar em uma comunidade do Orkut
      e já apareceu mais 2 mandamentos
      srsrs

      http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs?cmm=69226133&tid=5735586811432740941

      Excluir
  2. Respostas
    1. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

      Estes reaciotários ai....

      São contra o """totalitarismo""" soviético mas admiram a semi-ditadura de Singapura e governo de Pinochet

      São contra o controle de armas, quanto a própria amada igreja deles tentou proibir e banir as balestas(também conhecidas como bestas) só porque elas podiam perfurar com extrema facilidade armaduras

      Afirmam que mulheres não podem mandar, mas admiram Margaret Thatcher...

      Vivem criticando a bolsa família que quase não pesa no orçamento, mas não falam nada do "bolsa empresário"(BNDS) que é uma política fascista que tira dinheiro público e da a empresários que financiam campanhas.

      Excluir
  3. É preciso codificar o reacionarismo para que os incaultos não sirvam de inocentes úteis e os reacionários conscientes sejam combatidos! Muito bom!

    ResponderExcluir
  4. Se eu ainda tivesse perfil nestas redes iria compartilhar. Mas, não obstante, me diverti bastante.

    ResponderExcluir
  5. PARA REFLETIR...

    O texto poderia ser reescrito no sentido contrário:

    1-Invente sistematicamente a existência de qualquer conflito de classe, gênero, etnia ou origem regional ao seu redor, mesmo que o problema seja imperceptível aos olhos de todos. Afinal, sempre nos foi ensinado que a sociedade é dividida entre opressores e oprimidos.

    2-Não sendo possível inventar um grande conflito, tente convencer seu interlocutor de que ele é limitado ou reduzido a alguns focos, mas que é crescente.

    3-Sendo impossível sustentar que o conflito é vasto e presente em quase toda parte, tome o partido do movimento/grupo supostamente discriminado. Afinal, eles representam as vítimas, que devem ser protegidas a qualquer custo.

    4- Manifeste sua indignação diante de qualquer estatística que aponte para a inexistência de um conflito real. É inadmissível que o grupo esteja defendendo uma causa com falsos pressupostos.

    ResponderExcluir
  6. Qualquer coisa pode ser escrita ao contrário, mas neste caso é puro exercício sofístico. Ou alguém acredita que o Brasil se tornou o "monumento à desigualdade social" (vide Hobsbawn) por ter uma sociedade harmônica, acolhedora e cheia de oportunidades para todos?

    ResponderExcluir
  7. "Manifeste sua indignação diante de qualquer estatística que aponte para a inexistência de um conflito real. "

    Como uma estatística pode provar que um conflito não existe? É cada uma! Hehehehe!

    ResponderExcluir
  8. Conheço algumas pessoas que disseram algo da lista acima. Muito bom. Já postei no Facebook, mas vou repetir.

    ResponderExcluir
  9. Jairo de Carvalho15 de maio de 2012 20:03

    https://fbcdn-sphotos-a.akamaihd.net/hphotos-ak-prn1/525798_4040086965609_1384836674_3711954_9160288_n.jpg

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jairo de Carvalho16 de maio de 2012 20:37

      Você chegou a dar uma olhada? É que produzi uma série de slides com os 40 mandamentos.

      Excluir
  10. Uma coisa positiva

    "22-Jamais escute música baiana de qualquer vertente, samba, forró ou cantores sertanejos. Uma vez flagrado, sua reputação de homem civilizado estaria arruinada."

    Um reacionário tem pelo menos, bom gosto musical, e não escuta porcaria. Mas para isso não precisa ser reacionário, qualquer um com bom gosto musical não escuta essas coisas.

    ResponderExcluir
  11. Estaremos (ver logo acima) diante de um auto-atestado de reacionarismo?

    ResponderExcluir
  12. Ou de postura pessoal vertida em análise sócio-política...

    Conheço um bocado de gente que combateu a ditadura, todos eles detestam axé, sertanejo ou pagodinho-meloso.
    Todos os meus parentes que votaram pela monarquia no referendo, entretanto, adoram esses gêneros musicais.

    Acho que seus reacionários iam gostar menos ainda é de MPB. Ou de punk-rock não nazista.

    ResponderExcluir
  13. Você é o exemplo máximo de um PERFEITO IDIOTA LATINO AMERICANO.

    ResponderExcluir
  14. Achei o texto muito interessante. Convivo com uma série de "reaças" e já presenciei eventos como os enumerados inúmeras vezes.

    Quanto à postagem anônima que menciona sobre o gosto musical. Também não suporto uma boa gama destes estilos (que prefiro considerar alguns como ruídos). Eu sou muito a favor de uma cultura brasileira bem definida, mas sou contra a produção indiscriminada de ritmos somente por causa do vil metal.

    Tenho conhecidos meus que ficam anos e anos em escolas de música, têm uma altíssima capacidade musical, timbre vocal impecável, mas se depender da música morre de fome. Enquanto que há muitos sem nenhuma base que ganham milhões e fazem shows em playback. Isto sim é um grande fruto capitalista, vide todos aqueles pops-voz-de-robô (tal como Britney Spears) que o Brasil importa.

    Para mim Axé foi Luiz Caldas na época dele, não o que este se transformou. Sertanejo, Tonico e Tinoco, Sérgio Reis. De Chitãozinho e Xororó para cá, esquece. O pagode meloso tirou toda a base interessante do samba de raiz. Ainda gosto do samba "malandro" proveniente do Rio de Janeiro (tal como Dudu Nobre, Zeca Pagodinho, Alcione, Beth Carvalho, Arlindo Cruz etc). Mas samba de verdade, só quem estava vivo para ver Cartola.

    Bom, só situando quem sou e qual estilo mais ouço. Eu me chamo Hugo, tenho 26 anos (sim, muito saudoso para alguém tão novo) e aprecio muito rock e metal progressivos (pela questão técnica) e metal folk (pelo resgate cultural). Este último gosto ainda mais pelo uso de instrumentos regionais (baixos, domras, gaitas de fole, sanfona de corda, alaúde etc), por cantar em sua língua natal (ou a dos antepassados), em vez do globalizado inglês - já ouvi músicas em feroês, norueguês, gaulês (da Gália mesmo, não de Gales), russo, hebraico etc - e, por fim, por normalmente estas terem uma base pagã, tentando resgatar a cultura que lá existia antes do cristianismo apagar e demonizar todas suas crenças na Idade Média.

    Este assunto me lembra que queria muito que existisse uma banda com este estilo no Brasil, mal falta aqui uma cultura pré-cristã bem definida. Mas como Oswald de Andrade, queria que alguém deglutisse toda cultura supracitada e regurgitasse uma brasileira. Tal como foi no movimento antropofágico.

    Sem mais,
    Hugo Cesar

    ResponderExcluir
  15. Perfeito! Agora solicite seu direito igualitário na partilha do mensalão!!

    Vai lá se socializar com os condenados do mensalão e diga que o STF é reacionário!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais um anônimo que se dedica à inglória tarefa de "refutar" o que não foi dito. Deveria, pelo menos, deixar uma pérola reacionária original!

      Excluir
    2. Ja ouvi essa tambem,junto com a sugestao da vaquinha pra pagar as multas.

      Excluir
    3. Se é para tergiversar,lá vai:O Tio Rei e o Isntituto Milenium devem estar orgulhosos de ti,ó anônimo direitista e combativo defensor das sofridas classes abastadas.Ao menos os perfeitos idiotas latino americanos não nos deixamos chafurdar na lama do neoliberalismo que privatiza os lucros e socializa os prejuízos,afinal,a hipocrisia é marca indelével dos reacionários.Não fode porra!

      Beijundas.

      Excluir
  16. Apesar de muito realista, falar em ignorar conflitos étnicos (deveria utilizar raciais, os reaças também adoram evitar o termo e trocar equivocadamente por "étnico"), de citar o Kamel e falar em contrariedade pelos filhos do "proletariado" estarem acessando as universidades, faltou um dos mais importantes, óbvios e contextuais "mandamentos" dos reacionários brazucas, SER CONTRA COTAS (especialmente para negros).

    ResponderExcluir
  17. Vocês não sabem o que é ser "reacionário". http://www.implicante.org/artigos/parem-de-achar-que-reacionario-e-ofensa/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Geralmente deleto os spams, mas por algum impulso tolo publiquei o seu. Deveria, usando o mínimo de controle de qualidade, ter parado de ler na primeira vez em que se fala de "pensamento único". Acabei seguindo para ver onde chegava a sua fixação em Gregório Duvivier. A lista dos "expoentes da esquerda" também foi dose!

      Excluir
  18. Faltou um tipo assim: demonstre apoio aos políticos estadunidenses, esperando o dia de receber o visto de permanência; embora, na prática, isso nunca vá ocorrer.

    ResponderExcluir